sábado, 7 de setembro de 2013

O Cinto do Lobisomem

Numa terra do concelho de Beja, havia um lobisomem, que se transformava sempre numa encruzilhada, ou seja (um cruzamento de quatro ruas ou travessas). 
Numa noite, já a altas horas, numa dessas encruzilhadas, o lobisomem transformou-se num chibo. Quando isto se passou, um outro homem ali passou e encontrou o chibo.
Quando o viu, disse logo para com ele: 
-  Vou levá-lo para casa. 
Tirou o cinto das calças e colocou nas pernas do chibo para o poder levar ás costas.
Quando ia no caminho com o chibo, ás costas cada vez lhe pesavam mais. Não aguentado o peso, tirou-o das costas para ver o que se passava. O chibo, muito rapidamente, pregou-lhe valentes coises e fugiu. 
No outro dia, no trabalho, passou por ele um rapaz da aldeia que tinha fama de ser lobisomem. E não era que o rapaz trazia á volta da cintura, o cinto que tinha servido para amarrar o chibo na noite anterior. Era preciso mais para se identificar o lobisomem?

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Recomendamos