sábado, 7 de dezembro de 2019

Crato - Breve Resenha Histórica


Situado no Alto Alentejo, a 22 km a Oeste de Portalegre, o Crato é um Município com História, com um passado marcado pela presença dos pastores megalíticos e dos seus hábitos e cultura. Só neste município estão inventariadas mais de 70 antas, duas das quais Monumento Nacional: a Anta do Tapadão e a Anta do Crato.
O município do Crato é marcado, também:
- Pela ocupação romana exemplo das suas villas, habitat e pontes;
- Pelo nome e vivência da Ordem dos Hospitalários (posteriormente Ordem Soberana e Militar de Malta) e de D. Álvaro Gonçalves Pereira, 1º Prior do Crato, que ergue para sede da Ordem o imponente Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa e o Palácio do Grão-Prior
(arquitectura atribuída a Miguel Arruda) do qual apenas resta a imponente varanda e um janelão);
- Pelo glamour da época barroca com os seus palácios distribuídos por todo o município e, porque não,
- Pelos casamentos régios de D. Manuel I com D. Leonor e de D. João III e D. Catarina, celebrados nos Paços do castelo (Palácio Teixeira Guerra), na vila do Crato, com pompa e circunstância.

A Ordem de São João Baptista de Jerusalém. Depois chamada do Hospital, e ainda posteriormente, pela sede nas ilhas respectivas, de Rodes (1309-1523) e de Malta (1530 em diante), foi instituída por um grupo de comerciantes italianos de Amalfi para serviço e apoio dos peregrinos a Jerusalém.
D. Teresa Afonso, mulher do Conde D. Henrique, doou o Mosteiro de Leça à Ordem do Hospital em 1128, tendo então sido neste local a casa mãe da Ordem em Portugal.
Foi por carta de doação de D. Sancho II, sendo prior D. Mendo Gonçalves, que a Ordem recebeu, em 22 de Maio de 1232, o senhorio do Crato.
Porém, foi com D. Frei Álvaro Gonçalves Pereira e após edificação do Mosteiro de Santa Maria de Flor da Rosa, em 1356, que o Crato viria a ser sede ou cabeça da Ordem. Foi D. Álvaro Gonçalves Pereira um dos mais insignes Hospitalários de Portugal e da própria Ordem, o primeiro a ser designado por Prior do Crato, como depois dele foram sempre conhecidos os mais altos responsáveis da Religião.
No Crato se estabeleceu a capital do priorado que possuía vinte e três comendas e as seguintes terras e seus termos: Crato, Gáfete, Tolosa, Amieira, Gavião, Belver, Envendos, Carvoeiro, Sertã, Oleiros, Pedrógão Pequeno, Proença-a-Nova, Cardigos e Álvaro.
O Grão-Prior do Crato tinha poder espiritual e temporal, com jurisdição episcopal, motivo pelo qual não estava subordinado a prelado algum.
Em 1790, o Priorado do Crato foi integrado na Casa do Infantado, tendo sido seu último Prior o Senhor D. Miguel I, Rei de Portugal.
Com a extinção das ordens religiosas, também a Ordem de Malta sofreu essa perseguição tendo sido espoliada de todos os seus bens. No entanto, passados alguns anos a Ordem reorganizou-se ressurgindo como «Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem Soberana de São João de Jerusalém.
Actualmente, e como refere o primeiro artigo dos seus estatutos, os Cavaleiros Portugueses de Malta têm como principal objectivo em tempo de paz «dedicar-se a obras de caridade, religião e, especialmente, à assistência hospitalar» e em tempo de guerra «socorrer e aliviar os enfermos e feridos da Armada e do Exército Português»
                    
http://www.cm-crato.pt/pt/historia-cultura


Mostra Pias


Nos dias 13, 14 e 15 de dezembro realiza-se a Mostra Pias – Vinho, gastronomia e cultura, organizada pela Junta de Freguesia de Pias, com o apoio do Município de Serpa. Esta iniciativa, com entrada livre, conta com provas comentadas, visitas a vinhas e adegas, refeições temáticas, stands com produtos locais e tasquinhas com gastronomia local.


13 dezembro . Sexta-feira
10.30 h - Visita a adegas e vinhas (consultar programa próprio) *
18.00 h - Abertura da Mostra - Pias a Bombar
19.00 h - Animação infantil
21.30 h - Noite de fados - Rute Ramalho, Fernanda Oliveira, Pedro Calado, Mafalda Vasques,
António Caeiro (viola) e António Barros (guitarra portuguesa e viola)

14 dezembro . Sábado
12.00 h - Prova comentada de vinhos (consultar programa próprio) *
14.30 h - Colóquio “Pias - 2 000 anos de tradição vinícola”
:: Sessão de boas-vindas” . Tomé Pires - Presidente da Câmara Municipal de Serpa António Moita - Presidente da Junta de Freguesia de Pias
:: “O território de Pias durante a época romana”
- Miguel Serra - Arqueólogo, Divisão de Cultura e Património da Câmara Municipal de Serpa
:: “O vinho na Lusitânia romana: produção, consumo e exportação“
- Carlos Fabião - Arqueólogo, Professor Associado do Departamento de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
17.00 h - Showcooking - “O vinho e a paisagem - harmonizações gastronómicas” . Uma interpretação contemporânea dos saberes e sabores locais . Chef António Alexandre
19.00 h - “Não sei do que é que se trata, mas não concordo” . Documentário sobre a vida e obra de Vitorino
20.30 h - Animação infantil
21.30 h - Modas e modos
:: Grupo Coral Feminino “As Ceifeiras de Pias” & Celina da Piedade e Ana Santos
:: Grupo Coral e Etnográfico “Os Camponeses de Pias” & Tim, Vitorino, Manuel Paulo, Nuno Guerreiro e Paulo Ribeiro
00.00 h - DJ Reis
01.30 h - DJ Pedro Simões (Café da Manhã da RFM)

15 dezembro . Domingo
09.00 h - Do olival à vinha em BTT (consultar programa próprio) *
10.00 h - Vamos conhecer o concelho …a pé - “Da vinha ao vinho” (consultar programa próprio) *
12.00 h - Prova comentada de vinhos (consultar programa próprio) *
13.00 h - Almoço típico - Surraburra *
15.00 h - Jogos para crianças . “Conhecer os alimentos de outono” Com Alexandra Matos e Ana Rito
17.00 h - Showcooking infantil . “Broas Natalícias” . Com Alexandra Matos
19.00 h - OLE - Orquestra Ligeira do Exército


* Mediante inscrições na Junta de Freguesia de Pias
HORÁRIO ESPAÇO EXPOSITORES
Sexta-feira das 18.00 h às 22.00 h | Sábado das 11.00 h às 22.00 h | Domingo das 11.00 h às 21.00 h

sábado, 9 de novembro de 2019

Vida Alentejana - Abril 1935

Vida Alentejana - Abril 1935

Vida Alentejana - Março 1935

Vida Alentejana - Março 1935

Vida Alentejana - Março 1935

Vida Alentejana - Março 1935

Vida Alentejana - Fevereiro 1935

Vida Alentejana - Fevereiro 1935

Vida Alentejana - Fevereiro 1935

Vida Alentejana - Fevereiro 1935